“Porque morrerás e não viverás. ”

De 30/08/2016Blog, Vida Cristã
DvJqZj

Texto base: Isaías 38.1-21


O capítulo citado trata da enfermidade que acometeu o rei Ezequias, rei de Judá, um homem extremamente zeloso com o Deus que servia. A Bíblia diz que “depois dele não houve semelhante entre todos os reis de Judá, nem entre os que foram antes dele. ” (2 Rs 18.5). Para termos uma ideia da determinação e postura de Ezequias, foi ele quem reparou e purificou o templo, restabeleceu a celebração da Páscoa e combateu com firmeza a idolatria e paganismo entre o povo, inclusive, mandando destruir a serpente de bronze que Moisés fizera (Nm 21.6-9), pois estava servindo de objeto de idolatria pelos judeus.

Analisando superficialmente, podemos achar que a atitude dele foi normal e teríamos feito a mesma coisa, mas pense um pouco: Ezequias mandou destruir um objeto feito segundo a ordem do Senhor, por um dos profetas mais respeitados pelo povo, e que estava sendo adorado por diversas pessoas naqueles dias. Acho que isso requer muita coragem e conhecimento de Deus, não?

Pois apesar de seu histórico, Ezequias adoeceu de uma enfermidade mortal (provavelmente um tipo de câncer, segundo alguns estudiosos), e Deus manda o profeta Isaías ir até ele e dizer:

“Põe em ordem a tua casa, porque morrerás e não viverás. ” (Is 38.1)

Duras palavras…se receber essa sentença de um médico já é algo difícil e doloroso, imagine receber do próprio Deus? O que fazer? A quem recorrer, se aquele que tem a soberania sobre tudo já determinou o seu fim?

No entanto, vivemos as nossas vidas sem perceber algo muito importante: todos nós já recebemos a mesma sentença. E caso Jesus Cristo não volte antes, estamos destinados ao mesmo fim.

Cada um de nós terá o seu dia derradeiro, e não sabemos se será hoje, amanhã ou daqui a 50 anos. O fato é que podemos estar diante do Criador quando menos esperamos. A cada dia, diminuímos o dia desse encontro, e para alguns, o tempo do que foi feito já é maior do que aquilo que ainda se pode fazer.

E como tem sido os nossos preparativos para esse momento? E se o profeta chegasse diante de você agora e dissesse “põe em ordem a tua casa, porque morrerás”?

Será que poderíamos dizer a ele: “minha casa está em ordem, posso ir agora”?

Será que lembraríamos dos nossos últimos dias com tranquilidade, sabendo que andamos com retidão e temor?

Será que olharíamos nosso ministério, e iríamos sorrir satisfeitos com tudo o que fizemos?

Sabemos que nossos dias são agitados, e fazemos diversos planos para o futuro. Imaginamos aonde queremos estar daqui a 10 anos, o que queremos comprar ano que vem, aonde iremos no próximo fim-de-semana. Evidentemente, não pretendo criticar aqueles que planejam os seus próximos passos, até porque também faço isso, e é algo absolutamente prudente de nossa parte. Mas será que nessa vida que vivemos, em meio a toda correria, temos absoluta certeza que nossa casa está em ordem?

Escrevendo o texto, me lembrei de pessoas que falei de Cristo em algumas oportunidades, e que ainda não o aceitaram. Lembrei de coisas que pretendia fazer quando me converti, e que ainda não fiz. Talvez seja a hora de retomar e fazer aquilo que Deus já havia colocado em meu coração, e que por uma ou outra razão, ainda não as fiz. E você, também tem algo por fazer?

Na história de Ezequias, ele chorou e orou, e o Senhor acrescentou a ele 15 anos de vida. Mas até esse acréscimo só foi feito pela fidelidade e inteireza de coração que o rei andava diante de Deus, conforme o texto relata em Isaías 38:3. Se não fosse por isso, com certeza Deus não teria atendido a sua oração e prolongado os seus dias.

Para finalizar, cito uma música de uma banda muito conhecida, que ilustra bem a mensagem desse texto e resume como deveria ser a nossa postura:

“Viver cada dia como seu eu estivesse às vésperas da tua volta”.

Depois de tudo – Banda Resgate (Álbum: Ainda não é o último).

Nele vivemos, nos movemos e existimos.

 

 

Leandro M. Sawada