Categoria

Blog

Serviço

De | Blog, Vida Cristã | Nenhum comentário

“Cada um exerça o dom que recebeu para servir os outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas.”

1 Pedro 4:10 (NVI)

 

Algo que o secularismo tem usado para tentar impedir que os crentes professem a verdadeira fé é a relativização da religião. Há alguns em nosso meio que chegam a dizer que a religião não deve afetar certos aspectos da vida, como, por exemplo, o trabalho; outros, porém, enxergam a religião como uma série de obrigações que devem ser cumpridas para que possam adquirir bênçãos. Entretanto, a verdade é que, o cristianismo consiste num modo de vida radical taxado pelo mundo de loucura, como afirmou o apóstolo Paulo; com efeito, deixamos que um livro antigo nos diga como devamos agir e seguir um ser humano de dois mil anos que se auto denomina o Deus absoluto, único digno de adoração, e mais, dizemos que somos livres quando nos tornamos escravos dEle. Sim, os cristãos agem dessa forma distinta do resto do mundo.

E é justamente sobre ser escravo, que quero elucidar hoje. Algumas de nossas traduções trazem o termo grego doulou traduzido como servo, porém a palavra tem um significado original mais profundo que isso, isto é, escravo que transcreve bem o significado do sentido do texto no seu contexto, pois fomos comprados pelo sangue precioso de Jesus Cristo para servirmos ao nosso Senhor, para sua honra e glória.

Mas não podemos falar de serviço sem, entretanto, falar primeiro do nosso relacionamento com Deus, pois se de fato temos um relacionamento verdadeiro com o Pai, por meio de Jesus Cristo, o Espírito Santo, por sua vez, opera em nós, tanto o querer quanto o efetuar (Fp 2:13), mnos santificando para parecermos cada vez mais com o Senhor (Rm 8:29), porém a santificação necessita da nossa cooperação.

Partindo, então, do princípio de se parecer com Cristo, que é a santificação: Cristo se esvaziou e se tornou servo, e ainda foi obediente (Fp 2:7-8). Há maior exemplo para nós senão o do Soberano Deus servindo aqui na Terra? E à semelhança de que Ele é Filho de Deus, fomos feitos filhos também, adotados segundo a misericórdia do Senhor (Rm 8:15-16), portanto, somos família de Deus, e, como família, devemos crescer e permanecer unidos, pois essa união se expressa na analogia que a Bíblia faz, a saber, chamar a Igreja de Corpo de Cristo, mque possuem muitos membros, unidos, mas cada um com sua função. Portanto, uma das prioridades do serviço do crente deve ser sua congregação, que é a família da fé. Pessoas vêm à igreja se perguntando se o louvor é bom, se tem profecia, ou seja, querem saber como elas podem ser servidas, mas não se importam em saber se a congregação segue de fato a Palavra, e muito menos querem saber de servir. Para a Igreja local, o Espírito Santo capacita os membros para que a edificação possa acontecer entre os membros, para isso Cristo subiu aos céus e deu dons aos homens (Ef 4:8).

Encontramos em 1 Coríntios 12 os dons que Deus dá para a edificação da igreja, em Efésios 4:11-15 os dons ministeriais para aperfeiçoamento dos santos e em Romanos 12:4-8 os dons para manutenção do Corpo, e todos eles precisam estar acompanhados de amor para que sejam utilizados da maneira correta, pois os dons sempre devem ser usados em prol do coletivo e para a igreja. Aquele que verdadeiramente segue a Cristo anseia ser usado pelo Espírito, para a edificação da Igreja, e é necessário que cada um sirva com o dom que lhe é dado, aquele que não serve acaba defasando o Corpo e fazendo o outro trabalhar muito mais, assim como em qualquer outro grupo organizado, o membro acaba sendo, portanto, injusto e demonstrando cada vez menos amor pelo irmão, contrariando quando Paulo diz para buscar dons mais excelentes (1Co 12:31; 14:1, 39).

Até aqui vimos que o cristão deve, primeiramente, entender que, deve professar a verdadeira fé e reconhecer que faz parte da Igreja, a família de Deus, que existe para Seu louvor e glória. Para isso, antes de buscar os dons do Espírito para a edificação, é necessário que se busque o conhecimento da Palavra de Deus, pois a Escritura detém a autoridade máxima, já que é ela que revela a vontade de Deus aos homens e possui o parâmetro para julgarmos todas as coisas, tanto dos dons espirituais quanto o nosso caráter. Por isso, uma igreja saudável tem a Palavra de Deus como central em sua vida e deve ser ministrada por todos os membros (Cl 3:16), esse é o sacerdócio universal dos santos ensinado pelo Apóstolo Pedro (1Pe 2:5,9). Sim, somos sacerdotes, pois através de nosso sumo sacerdote, Jesus Cristo, temos acesso a Deus, e por meio de Sua Palavra podemos ministrar uns aos outros, por meio da doutrina, oração e louvores.

Com a Palavra de Cristo sendo abundante em nosso ser, podemos estar aptos para sermos bons obreiros (2Tm 2:15), assim conseguindo servir também fora da igreja. Em Colossenses 3, logo após falar da importância da Palavra, o Apóstolo Paulo fala do relacionamento na família de sangue, pois a Palavra deve instruir os filhos e os pais através da pregação do evangelho, o mesmo deve ocorrer em nosso trabalho, e mais – as pessoas do mundo inteiro precisam ouvir o evangelho.  Aqui entra outro ponto importante: a pregação do evangelho deve ser central na vida da igreja, para espalhar as boas novas, pois para isso a Igreja foi criada, a fim de constituir a família de Deus, onde mais filhos serão adotados.

É pela pregação do evangelho que se anuncia as boas novas. A carta de Tiago mostra um ponto importante a ser frisado, a saber, ela apresenta que nossa fé sem obras é morta. Ela trata das boas obras, do amor fraternal entre irmãos e da hospitalidade para com os órfãos e as viúvas, em outras palavras, os necessitados; essa disposição é marca de nossa santificação em Cristo.

Concluindo a nossa reflexão, vemos que o cristão deve fazer com que a Palavra de Deus esteja firme em sua vida, para que ele possa estar apto a ministrar o seu lar e, como Igreja, fazer o possível para permanecer unido à seus irmãos, exercendo os dons e as boas obras, pregando o evangelho para cumprir o fim último que é, dar honra e glória ao Deus Todo Poderoso.

 

 

Lynecker Santos

Aprendendo com o Carnaval

De | Blog | Nenhum comentário

“É de “Alele, Ile e ilejá”. Essa foi a “Quizomba” de um povo feliz, que acredita que não desiste que trabalha muito. A nossa sorte é ter um povo como o nosso, povo que trabalha muito que faz mutirão alegre e feliz.”
Eduardo Santos – Presidente da Escola Acadêmicos do Tatuapé.
http://g1.globo.com/…/academicos-do-tatuape-e-a-campea-do-c…


Essa foi uma das primeiras falas do Campeão do Carnaval 2017 em São Paulo. Ouvi muitas outras, onde o que mais se destacou foi a gratidão e a dedicação de todos os integrantes da escola, que investiram muito tempo e dinheiro, noites em claro, mutirões para que tudo saísse perfeito, tudo lindo! E ao que podemos notar todo o sacrifício dessa galera valeu a pena, pois foram recompensados com o titulo de campeã.

Fiquei muito pensativo ao ver a entrevista e coloquei-me a pensar na situação da Igreja Evangélica no Brasil. Nesse mesmo feriado muitos “crentes” estavam em seus “retiros espirituais”, outros, como eu curtindo a família, outros evangelizando (e sendo criticados), outros dançando e desfilando literalmente no carnaval, outros fazendo proselitismo às suas ideias e convicções doutrinárias, outros criticando tudo, e muitos, muitos mesmo não fazendo nada.

Fiz-me a pergunta: Porque o cristão investe tão pouco em sua vida ou nas atividades cristãs quando são convocados por sua igreja, mas investem tanto em coisas que aparentemente são tão irrelevantes.

Temos perdido tanto tempo nos atacando e investindo tão pouco na pregação do evangelho, em missões, em ações sociais, em servir ao próximo, em servirmos dentro da nossa igreja, da nossa comunidade.

Nas redes sociais, só vemos ataques, não ao pecado, mas ao irmão que pensa “soteriologicamente” diferente.

Igreja acorda!!!

Tanta gente pagando caro, investindo alto para ir direto para o inferno e o que estamos fazendo?

Precisamos, como igreja, fazer a diferença para o Reino de Deus, não para o seu “pastor”. Precisamos buscar mais a Deus.

Sair das quatro paredes. E para isso buscarmos o poder do Alto.

“A maior necessidade [da igreja} dos nossos dias, é o poder do Alto”. (Charles Finney)

Pelo visto temos muito que aprender com o carnaval.

Os membros das Escolas de Samba são unidos, ajudam-se, não são preguiçosos, investem muito do seu tempo e do seu dinheiro. Não medem esforços para o que eles chamam de “ o grande dia”.
Fazem tudo para conquistar seus objetivos (ainda que nós os “evangélicos” nos reservemos o direito de os criticá-los).

Uma fantasia de Carnaval, das mais simples, chega a R$ 1.000,00. Quando mencionamos R$ 50,00 para um passeio entre os “irmãos da Igreja”, é caro, ninguém tem tempo ou dinheiro.

Carnavalescos se revezam em diversas atividades para que a produção na escola não pare. Muitos trabalham o dia inteiro e à noite vão servir nas suas respectivas escolas varando a noite. E quando perguntados o porque de tudo isso, a resposta é a seguinte: Amor. Eu amo a minha escola! (Como eu ouvi isso).

Na igreja, poucos são os crentes que participam de uma Vigília de Oração, de uma Escola Bíblica, de estarem em comunhão. Ah! eles também dizem amar a Deus e também sua igreja.

“Há maior número de pessoas dispostas a se afastar do pecador do que dispostas a se afastarem do pecado.” (Dwight L. Moody)

No ano de comemoração dos 500 Anos da Reforma, tenho a impressão de que essa reforma está longe de terminar.

Precisamos falar menos e fazer mais. Até que Ele volte!

“Porque não me envergonho do evangelho, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.” Rm 1.16

“Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá.” Ef 5.14

Só para lembrar, eu também, assim como você, sou igreja.

Pr. André Enrique

Estamos voltando!

De | Avisos, Blog | Nenhum comentário

Faz tempo que não postamos, mas não se preocupe, pois estamos preparando o terreno pra 2017.

Esse ano terá novidades e não só nós da mídia, mas toda a liderança dos jovens está empenhada no planejamento do ano. Aguarde!

Tira-dúvidas: GameDay

De | Avisos, Blog | Nenhum comentário

Está com dúvidas sobre o GameDay? Hora de esclarece-las!

1 – Valor de Inscrição: R$10,00 + Refrigerante . Não importa se você se inscreveu para dois campeonatos ou se vai apenas assistir seus amigos passarem vergonha no Just Dance, o valor é o mesmo.

Pague previamente os R$10,00 com Jonas ou Andreílson. Refrigerante pode ser entregue antes ou levado no dia.

dolly

Bastante refri pra refrescar

 

2 – Inscrição no site obrigatória a todos.

Inscreva-se aqui: http://jovens.ictrindade.com.br/1o-game-day-ict/

 

3 – O Evento começa às 15h com previsão de término às 21h. Pra quem se inscreveu em algum campeonato, por favor chegue até as 16h sem exceção.

 

4 – “Posso levar um amigo?” SIM, mas ele também precisa fazer a inscrição e pagar.

 

5 – “Posso levar meu videogame com uns jogos?” Não. Não temos estrutura para mais estações de jogos do que o planejado. Mas quem sabe na próxima, né?

 

6 – “Não quero participar do campeonato . Vou poder jogar?” Sim, todo mundo vai se divertir.

sem-titulo

Sinceridade

Tem mais alguma dúvida? Comente ou nos mande mensagem em nosso Facebook.

Estamos preparados?

De | Blog, Vida Cristã | Nenhum comentário

Uma chamada a reflexão


A caminho do velório do Dr. Russel Shedd, refletindo  um pouco sobre a vida e o legado desse pastor, lembrei-me da última vez em que estive com ele em sua casa, no dia de seu 87º aniversário (10/11/2016). Ali com outros pastores celebramos a Ceia do Senhor e pudemos desfrutar alguns momentos com aquele  homem  que dedicou sua vida inteira em prol do Reino do Senhor e agora sentia-se como que “desmamando desse mundo e pronto para subir”.

Russel Shedd esperou a vida inteira por aquele momento,  se preparou para ter o encontro com o seu tão doce e amado Jesus.

Como foi lindo ver e ouvir testemunhos de tantas pessoas que foram influenciadas direta ou indiretamente por esse servo do Senhor que tanto fez pelo evangelho.

Um legado que jamais será esquecido.

Por outro lado, em todos os canais de comunicação, o assunto era a  tragédia com o avião que transportava o time da Chapecoense na Colômbia.

Um time que se preparou para o “jogo da vida deles”.

Jovens com idade média de 25 anos aproximadamente, com sonhos, projetos, planos, vida.

Jamais imaginaram o que estaria para acontecer.

Prepararam-se para a disputa de um título de futebol. Jamais imaginaram a morte.

Nesse momento, lembrei-me do texto de Eclesiastes 7.2-4.

Quando estamos diante do luto, percebemos que um dia chegará a nossa vez. Pensamos em fazer melhor, em ser melhor.

Na tristeza muitas vezes, buscamos nos aproximar mais do Senhor.

Na alegria, muitas vezes O esquecemos (Lc 15.11-32).

Será que temos nos preparado para a morte?

E se estamos, para que estamos?

Será que aguardamos por esse dia para nos encontrarmos com Cristo?

A vida passa muito rápido, e o que  estamos fazendo dela?

É melhor viver com a perspectiva da certeza da morte do que desperdiçar a vida com frivolidades vazias.

Como Pastor do Ministério de Jovens da Igreja Cristã da Trindade e pai de três filhos, tenho me preocupado com o que tem sido relevante em suas vidas.

Para muitos jovens e em todas as partes a igreja tornou-se  um point, um clube.

Ser cristão deixou de ser um estilo de vida. O evangelho deixou de ser relevante.

E exatamente esse pensamento que temos tentado excluir das mentes e corações de nossos jovens, nossos filhos.

Vive-se  para tudo, mesmo quando esse tudo é  exatamente  nada!

Fomos chamados para pregar o evangelho em tempo e fora de tempo. O “ide” continua sendo para todos nós (2Tm 4.2; Mc 16.15) e o que estamos fazendo……..estudando para ganharmos respeito, ganharmos disputas, quando deveríamos estar gastando nossa vida na prática e  pregação do evangelho (Tg 1.22-24; 1Pe 3.15; 2Tm 2.24-26).

A vida passa muito rápido. Não perca seu tempo.

Prepare-se para encontrar-se com Cristo (2Tm 4.6-8).

Reflita sobre o que é relevante em sua vida e lembre-se de colocar o Senhor Jesus Cristo em primeiro lugar.

Não seja um Jonas fugindo do seu chamado (Jn 1.3).

Invista a sua vida no que vale a pena. Invista sua vida no Reino do Senhor.

 

“A nossa forma de viver neste mundo deve se inspirar no mundo vindouro. Se a revelação bíblica é verdadeira podemos ter segurança que os “Lázaros” estarão muito melhor, daqui a cem anos, do que os “ricos” bem-sucedidos que ganharam muito respeito neste mundo“.
Russell Shedd

 

Oramos ao Senhor para que conforte a família Shedd e as famílias das vitimas da tragédia na Colômbia.

 

Que Deus nos ajude

Pr. André Enrique
p.andre@ictrindade.com.br

8 coisas que você precisa levar na mala pro acampamento

De | Avisos, Blog | Nenhum comentário

 

Faltam só 4 dias pro nosso acampamento! Tudo bem que a gente está na contagem regressiva desde que anunciamos o acampamento, mas agora é pra valer, tá na hora de fazermos as malas, então preparamos uma listinha de coisas que você vai precisar levar na sexta.

 

1. Travesseiro e roupa de cama

o colchão é por conta da casa, mas não esquece de guardar um espacinho na mala pra um lençol, um cobertor e seu travesseiro pra dormir bem!

 

2. Roupa de Banho

Piscina, Skibunda e se tudo der certo muuuito sol. Mas ATENÇÃO no traje, meninos de shorts e meninas maiô e shorts

3. Toalha

4. Protetor solar

 

 

5. Repelente

Ah mosquitos…

 

 

6. Itens de higiene pessoal

Escova e pasta de dente, shampoo, sabonete, desodorante, perfume… todos cheirosinhos!

 

 

7. Roupa pra noite temática: KIDS

Isso mesmo, c-r-i-a-n-ç-a-s, seja criativo!

 

 

8. Por último o mais importante: a Bíblia

E um coração disposto e aberto a ouvir o que Deus guardou pra gente nesse fim de semana.
E vê se não vacila!

O ônibus sai as 20h em ponto, da ICT…  Até sexta galera ☺

 

 

Escovando os dentes

De | Blog, Vida Cristã | Nenhum comentário

Eu me lembro de quando era criança e, nas férias, ia pra acampamentos longe dos meus pais… Eu amava! Amava principalmente o fato de que não tinha ninguém pra me mandar escovar os dentes! Sabe como é, nenhuma criança gosta de tomar banho, escovar os dentes, se alimentar bem, dormir cedo etc. Na verdade, a única coisa de que eu não gostava era escovar os dentes, aí eu aproveitava esses acampamentos pra viver minha “liberdade”.

Eu achava o máximo não escovar os dentes (no máximo, só o fazia pela manhã, ao me levantar) e, pior, achava o máximo contar isso pra todo mundo! Exatamente… Eu estufava bem o peito e me sentia a maioral quando falava aos quatro ventos: “Eu passo a semana nesse acampamento e não escovo os dentes nenhum dia!” As pessoas me olhavam com uma cara de incredulidade e até mesmo nojo, mas eu não estava nem aí!

É claro que essa fase passou e, graças a Deus, meus dentes são muito bem cuidados. Mas olho pra trás e vejo como fui burra de me apegar a algo que só me prejudicava (no caso, minha saúde bucal) e afastava as pessoas de mim (eu até podia achar que não tinha bafo, mas é claro que todos sentiam)!

Na nossa vida não é diferente, não é mesmo? Facilmente escolhemos nos apegar a algo que é declaradamente contra a Bíblia, porque não queremos mudar… Queremos que a Bíblia se ajuste ao nosso pecado, à nossa forma de viver e com isso nos prejudicamos, pois nossa saúde espiritual fica fraca; e, ainda por cima, afastamos de nós pessoas que tanto nos amam e querem nos ajudar!

Eu não escovava os dentes porque queria me sentir livre, mas que liberdade é essa que me prejudica e me afasta de quem amo? Se isso é liberdade, prefiro estar presa, ser escrava de Cristo!

Claro que precisei crescer e amadurecer para entender a importância de escovar os dentes e na vida espiritual também é assim: precisamos crescer e amadurecer, para entender certos conceitos bíblicos e aceitar a vontade de Deus pras nossas vidas!

Crescimento e amadurecimento são coisas opcionais em nossas vidas, então, que possamos optar por elas bem depressa, por nós mesmos e pelos outros!

 

Alyne Romeiro

Aceitação ou pura folga?

De | Blog, Vida Cristã | Nenhum comentário

Há uns dias atrás eu estava conversando com uma pessoa que não é cristã e essa pessoa me disse: “Eu sou mais pro Budismo, sabe? Porque é o lugar onde me sinto bem, onde encontrei maior aceitação pro estilo de vida que levo.”

Aí então, eu parei pra pensar… Como o ser humano é folgado, né? Puxa, nós queremos somente aquilo que nos deixa confortáveis, que massageia nosso ego, que não nos incomoda a mudar….bem diferente do exemplo de Jesus que abriu mão de toda a Sua glória por amor a nós, né? (Filipenses 2)

É engraçado ver como a “síndrome de Gabriela” (eu nasci assim, vou ser sempre assim…) se espalhou tão rapidamente em nossa sociedade, e digo, pra minha vergonha, no meio dos cristãos… Daqueles que se dizem seguidores de Cristo…

Outra frase que já ouvi muito também: “Não estou mais na igreja X, pois não me sinto bem lá”. E quem foi que disse que somos nós que temos de nos sentir bem na igreja? Muito pelo contrário, é o Espírito Santo que tem que se sentir bem e à vontade pra trabalhar em nós! Agora imagine só… Jesus está aí habitando em você, aí você peca e Jesus fala: “Pois é… Não me sinto bem aqui, vou embora!” Nossa! Se fosse assim, onde eu estaria? Complicado e delicado, não?

Jesus não foi aceito e ainda não é por muita, muita gente mesmo… Mas isso não o fez desistir da obra para a qual se voluntariou!

Deus nos ama apesar do pecado, e nos transforma apesar do pecado!

Creio que é muito melhor sofrer as “dores” momentâneas de uma mudança real de vida do que permanecer “Gabriela” e o sofrimento não ter fim (sim, refiro-me ao inferno, e esse lugar é bem real!).

Você, que quer tanto ser aceito do jeito como é… Está disposto a aceitar a Jesus e a nova vida que Ele pode te dar do jeito que é?

 

 

Alyne Romeiro

Qual é o Som? #3

De | Blog, Outros | Nenhum comentário

SALVE GALERA!

O #QualÉoSom de hoje fala de um amor profundo, imenso, incondicional. Este Amor, é algo que não conseguimos entender, simplesmente pelo fato de sermos pecadores.
O Pai que Seu Filho nos deu, e o Filho que por todos morreu! Maior prova de amor não há!

Conflito árabe-israelense: o que temos a ver com isso?

De | Blog, Vida Cristã | Nenhum comentário

65 anos de fundação do Estado de Israel e mais tempo ainda de conflitos e guerras entre israelenses e palestinos.

A quem realmente pertence a terra? A resposta está em Salmos 24.1-2: “Do Senhor é a terra e tudo o que nela existe, o mundo e os que nele vivem; pois foi Ele quem fundou-a sobre os mares e firmou-a sobre as águas“.

Por que queremos nos meter neste conflito, dizendo qual “lado” está certo e apoiado por Deus, se “não temos aqui nenhuma cidade permanente, mas buscamos a que há de vir” (Hb 13.14)? É em favor do Reino de Deus que devemos lutar.  Um Reino eterno e espiritual, um reino que não está limitado a um povo, mas é formado por gente de todos os povos, tribos, línguas e nações, gente justificada pelo sangue de Cristo, gente que foi salva por Ele da destruição e morte eternas.

Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas! Tudo isso provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, ou seja, que Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não levando em conta os pecados dos homens, e nos confiou a mensagem da reconciliação. Portanto, somos embaixadores de Cristo, como se Deus estivesse fazendo o seu apelo por nosso intermédio. Por amor a Cristo lhes suplicamos: Reconciliem-se com Deus” (2 Co 5.17–20).

Como embaixadores do Reino, devemos levar a mensagem de reconciliação de Deus com os homens. Por isso, nossa preocupação não deve ser quem tem o direito à terra, mas ganhar israelenses e palestinos para Cristo. Se morrerem sem Cristo de nada adiantará a posse da terra. Essa sim é a maior tragédia!

 

Estevão Medeiros